ENTENDENDO O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO

O medo tem ação paralisante, comprometendo completamente a desenvoltura do palestrante .


Para algumas pessoas a tarefa de falar diante de uma plateia é algo completamente simples, pois aprenderam técnicas para controlar o medo e desenvolveram  habilidades de lidar com a multidão. Contudo, nem todos são assim, existindo em nosso meio um verdadeiro batalhão de pessoas que se sentem apavoradas só de se imaginarem falando em público, ainda que o  seja em uma pequena reunião.

Este tipo de medo tem ação paralisante, comprometendo completamente a desenvoltura do palestrante, ao ponto de praticamente anular o conhecimento que possui na área a ser explanada, tornando inútil, de certa forma, sua condição de especialista.


A infância

O que talvez você não imagine sobre este assunto, é que provavelmente o seu medo esteja ligado diretamente a fatos que ocorreram na sua infância.

Para que você compreenda melhor, a personalidade de uma pessoa é determinada até os seus 12 anos de idade, de forma que todos os fatos que ocorram neste período, tanto positivos quanto negativos, sejam sentidos com maior intensidade e repercutam por toda a vida do individuo.

O abandono, por exemplo, agrega à criança, complexos de inferioridade e de rejeição, fazendo o adulto se sentir incapaz de agradar qualquer pessoa, e muito menos uma plateia.

Se o abandono em questão tiver relação com a figura paterna, ou este ainda que presente fisicamente, não tenha desenvolvido com o filho um relacionamento fraternal, as marcas da rejeição são ainda maiores, pois como apontam estudos recentes, a relação do filho com o pai representa para a criança a satisfação da necessidade subjetiva de proteção e prestigio, explicando assim, a insegurança e a desmotivação em muitos adultos.


Traumas

Outro fator que pode ser o grande responsável pelo medo de falar em público são os traumas. Eles consistem em episódios carregados com extrema carga negativa sobre o individuo, gerando um surto interno e criando a sensação total de desproteção e completa incapacidade.

Os traumas, por sua vez, exercem influências nas capacidades humanas independente da fase da vida em que tenham ocorrido, gerando um bloqueio mental significativo, de modo que o subconsciente da pessoa estacione neste momento, gerando inconscientemente repetições do episodio traumático.

Pessoas que vivenciaram episódios vergonhosos ou que foram constrangidas perante  muitas pessoas, tendem a desenvolver bloqueios diante da exposição a plateias, pois seu subconsciente acredita que o episódio traumático está se repetindo, acionando internamente todos os seus sensores de proteção afim de evitar que ele se repita.

Este acionamento dos sensores de segurança é evidenciado por meio do pânico e dos comportamentos medrosos, explicando  a paralisação e o terror de muitas pessoas diante de plateias.


Soluções


Atualmente existem muitas alternativas de tratamentos que visam solucionar tais problemas. Hoje, além dos profissionais da psicologia e da psicanalise, há uma grande oferta de profissionais máster coachs e mentores, que têm apresentado técnicas inovadoras de como corrigir os bloqueios mentais.

Em nossos cursos de oratória utilizamos técnicas de programação neorolinguística, para ensinar a controlar e dominar o medo,  com exercícios mentais práticos, além de  varias técnicas inovadoras altamente eficazes, que aliviam a tensão e promovem o relaxamento, além de exercícios de respiração diafragmática, uma leitura amena, uma música relaxante, exercícios físicos e outros mecanismos, sendo uma excelente alternativa para quem almeja livrar-se do medo de falar em público de forma rápida.